25 Anos de Joao Paulo II: quarto pontificado mais longo da história

Image

Às 16h45 de 14 de outubro de 1978, dez dias depois do funeral do papa João Paulo I, 110 cardeais eleitores e 88 pessoas selecionadas para auxiliá-los entraram no conclave, para eleger o seu sucessor. Às 18h18 do dia 16 de outubro saiu uma fumaça branca da pequena chaminé da Capela Sistina, assinalando assim que os cardeais eleitores haviam escolhido um novo romano pontífice. Vinte e sete minutos mais tarde, o cardeal Pericle Felici apareceu na loja central da Basília de São Pero e anunciou a eleição de João Paulo II à Sede de Pedro.

Às 19h15, o novo pontífice,revestido com o tradicional branco papal, apareceu no mesmo local e disse em italiano as palavras, agora familiares a dezenas de milhões de pessoas em todo o mundo: “Louvado seja Jesus Cristo!”

Este é o quarto pontificado mais longo da história do papado. O mais longo foi de São Pedro (não se conhece a data precisa), seguido pelo papa Pio IX (1846-78: 31 anos, 7 meses e 17 dias) e o segundo foi o de seu sucessor, Leon XIII (1878-1903: 25 anos, quatro meses e 17 dias)

Em seus 25 anos como papa, João Paulo II celebrou oito consistórios, por meio do qual criou 201 cardeais. No dia 28 de setembro anunciou o nono consistório de seu pontificado, nomeando 31 cardeais, dos quais um “in pectore”. Com o próximo consistório, que se realizará no dia 21 de outubro de 2003, os membros do Colégio Cardinalício serão 194 (sem incluir o cardeal “in pectore”), dos quais 135 tem menos de 80 anos, portanto, são eleitores. Nesta data João Paulo II haverá criado 232 cardeais.

Desde o começo de seu pontificado até os dias atuais, o papa nomeou mais de 3.300 dos mais de 4.200 bispos do mundo. Reuniu-se com cada um deles em diversas ocasiões ao longo dos anos, particularmente quando completam sua obrigação qüinqüenal da visita “ad limina Apostolorum”.

João Paulo II escreveu 14 encíclicas, 14 exortações apostólicas, 11 constituições apostólicas, 42 cartas apostólicas e 28 motu proprio, além de centenas de mensagens e cartas. Em preparação ao Grande Jubileu do Ano 2000, o papa João Paulo II escreveu a Carta Apostólica “Tertio millenio adveniente”, datada de 10 de novembro de 1994 e publicada quatro dias depois. Também criou o Comitê para o Grande Jubileu do Ano 2000.

O papa, de 83 anos, presidiu 15 sínodos: seis ordinários, um extraordinário e oito especiais.

Durante esses 25 anos de pontificado, João Paulo II realizou 102 viagens pastorais fora da Itália; a última aconteceu em setembro deste ano à Eslováquia. Realizou 143 viagens pelo interior da Itália e quase 700 na cidade e diocese de Roma, entre elas a visita a 301 das 325 paróquias da diocese da qual é bispo, além de institutos religiosos, universidades, seminários, hospitais, casas de repouso, prisões e escolas.

Com suas 245 viagens pastorais fora e dentro da Itália, o papa João Paulo II percorreu 1.163.865 quilômetros, ou seja, mais de 28 vezes a circunferência da Terra ou três vezes a distância entre a Terra e a lua.

Em Roma, o papa recebe uma média de um milhão de peregrinos por ano, incluídos cerca de 400 mil que assistem às audiências gerais semanais, além dos que vão a eventos especiais como as missas de Natal e Páscoa, as beatificações e as canonizações.

Também recebe cerca de 180 mil pessoas a cada ano em audiências destinadas a grupos particulares, chefes de Estado e de Governo.

Com a audiência geral de ontem, 15 de outubro, João Paulo II celebrou 1.106 audiências gerais das quais têm participado mais de 17 milhões de pessoas de todo o mundo. Outras audiências, entre elas, as concedidas a chefes de Estado e de Governo, superam o número de 1500.

No princípio do pontificado de João Paulo II a Santa Sé mantinha relações diplomáticas com 85 países. Agora, são 174 nações, assim como a União Européia e a Soberana Ordem Militar de Malta. São de natureza especial as relações com a Federação Russa e com a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Segundo o escritório das Celebrações Litúrgicas do Sumo Pontífice, nos últimos 25 anos o papa beatificou 1324 servos de Deus em 140 cerimônias, e canonizou 477 beatos em 51 cerimônias, incluída a do domingo passado, 5 de outubro.

Em fevereiro de 1984 fundou o Instituto João Paulo II para o Sahel, e em fevereiro de 1992, a Fundação “Populorum Progressio” para os povos indígenas da América Latina. Também fundou as Pontifícias Academias para a Vida e para as Ciências Sociais. Instituiu o Dia Mundial do Enfermo e o Dia Mundial da Juventude.

Fonte: CNBB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!