Idosos ou velhos?

É possível avançar nos anos sem ficar velho? Em que modo e até que ponto? De um lado o número dos gordos está crescendo e já supera o número dos que passam fome, aumentam os doentes de câncer e de diabete; de outro aumentam os estudos para conservar vida e saúde da mente e do corpo, prevenindo doenças, e evitando vícios desgastantes, de modo a se tornar idosos com o mínimo de achaques típicos da velhice.
Sendo assim, o sábio pratica a arte de viver corretamente. É uma arte importante, que os superficiais descuidam de apreender e praticar. Já os antigos diziam: “Mata mais a gula que a espada”. A quaresma é tempo de rever o nosso estilo de vida. O tipo de jejum hoje recomendado pela igreja constitui um ponto essencial para prolongar uma vida serena e produtiva. A igreja, mais do que ao jejum, exorta à sobriedade.
As normas fundamentais desta virtude foram já indicadas pelos antigos e são confirmadas pela ciência moderna. Eis as principais:
1º- Comer somente nas refeições; para os adultos três vezes por dia, ou no máximo quatro. O nosso organismo tem seu ritmo, que vai respeitado: ingere o alimento (que deve ser tomado com calma), o estomago o digere num par de horas, e depois o nosso corpo o assimila.  Quem come fora de horário constrange o organismo a um trabalho extraordinário, alterando continuamente o ritmo, e assim impedindo uma digestão e assimilação correta.
2º- Levantar da mesa com um pouco de apetite; quer dizer, não encher o estomago. Experimentos feitos, tanto com pessoas como com animais, mostram que a sobriedade nos alimentos favorece a atividade física e mental, conserva melhor as forças, evita doenças.
3º- Preferir alimentos naturais, não sofisticados, na base de vegetais e verduras, legumes,  grãos, evitando gorduras e reduzindo as carnes, o açúcar, o sal e as pimentas.
4º- Beber somente água, com abundância, fora das refeições, eliminando café, chá, refrigerantes de todo tipo, feita exceção por sucos de frutas e leite.
5º- Evitar a vida sedentária: mover-se, passear, fazer trabalhos físicos, exercitando os músculos, e as energias mentais. Os antigos diziam que “a memória diminui se não for exercitada”. Os estudos modernos provam que tudo no organismo enfraquece se não for mantido em exercício: tanto as energias da mente, como do corpo. A preguiça cria preguiça, enquanto o dinamismo nos torna dinâmicos.
6º- O princípio se aplica também à vida emocional. O pensamento triste cria tristeza, o negativo produz desânimo, o rancor torna rancoroso, a raiva raivoso, o nervosismo aumenta o nervoso. Pelo contrário, o pensamento positivo torna otimistas, o sorriso torna serenos, a serenidade produz alegria, que se espalha na convivência.
No organismo físico ou psíquico, forma-se a espiral do otimismo ou do pessimismo, da paz ou da briga, da calma ou do nervoso, do dinamismo ou da preguiça, produzindo felicidade ou infelicidade. É importante reagir logo, quando se percebe de entrar numa espiral negativa, procurando formar uma espiral de pensamentos positivos, de serenidade e otimismo.
Tudo isso é sabedoria humana e ao mesmo tempo virtude cristã. É um ato de agradecimento a Deus mostrar que apreciamos a vida e os bens que Ele nos dá. Ele è pai, e nenhum pai gosta de um filho chorão; pior se não cuida da saúde. Se depois nesta quaresma, queremos ajudar os irmãos com deficiências, procuremos antes manter nos mesmos eficientes.    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!