AS SETE ALEGRIAS DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA

tn_nossasenhora.jpeg"Alegra-te Maria, Imaculada e Santa, amada de Deus, nova Eva eleita, cooperadora da reconciliação. Mãe de Jesus e nossa, incansável auxílio dos pecadores, maternal intercessora, lembra-te sempre deste filho teu. Amém."

Oração Mariana

Em maio, mês dedicado à Virgem Maria, podemos meditar não só em suas dores, mas também em seus momentos felizes. Nossa Senhora teve muitas alegrias em sua vida terrena. A maior delas, sem dúvida, foi o fato de ter sido escolhida para ser a Mãe de Deus. Poderia haver maior felicidade do que esta?

Dentre as alegrias que Ela viveu, podemos destacar sete, a saber:

Primeira Alegria – Quando recebe o anúncio do anjo Gabriel e a conseqüente Encarnação do Filho de Deus – Lucas 1: 26-33, 38.

Segunda Alegria – Quando visita a Sua prima Santa Isabel – Lucas 1: 39-45

Terceira Alegria – Quando nasce seu filho, o Menino Jesus – Lucas 2: 6-7

Quarta Alegria – Quando os três reis magos prestam adoração ao Menino Jesus – Mateus 2: 1-2, 10-11.

Quinta Alegria – Quando encontra o menino Jesus, que estava no templo – Lucas 2: 41-50

Sexta Alegria – Quando da Ressurreição de Jesus – Marcos 16: 1-7.

Sétima Alegria – Quando da Sua Assunção e Coroação como Rainha do Céu- "Fidei dogma definitur deiparam virginem Mariam corpore et anima fuisse ad caelestem gloriam assumptam" – Papa Pio XII, 1 de novembro de 1950; Acta Apostolicae Sedis, An et Vol XXXXII – Ser II, V. XVII – nº 15 – *Ver também Lucas 1: 46-55

A alegria é um sentimento profundo que nasce da mescla de vários fatores: sentir confiança, ter a satisfação do dever cumprido, estar em harmonia consigo mesmo, com Deus e com os demais irmãos. A alegria constante é uma atitude própria do católico, que tem a segurança de sentir-se amado por Deus, no caminho certo e na verdade. Maria, nossa Mãe, é exemplo e fonte dessa mesma alegria, para todos nós.

No início do século XV na Itália, na época de São Bernardino de Sena (1380-1444), surge entre os franciscanos uma devoção, que recorda esses episódios felizes. É a chamada "Coroa Franciscana" ou as "Sete Alegrias da Santíssima Virgem Maria". Em cada uma das " Sete Alegrias" roga-se à Maria que se alegre, porque Deus a favoreceu de várias maneiras.

Existe um colar de contas apropriado para a devoção. Ele é composto de 76 contas fixadas em um círculo, que está conectado a uma medalha, e mais um prolongamento com cinco contas que termina com um crucifixo e uma medalha de São Francisco de Assis. O círculo contém sete dezenas de contas que representam as "Ave Maria." Uma conta do "Pai Nosso" separa cada dezena com uma única exceção: a conta do "Pai Nosso" para a Primeira Alegria, que se encontra no prolongamento, junto à medalha conectora.

O colar da Coroa Franciscana facilita a contagem na hora das orações, mas não é indispensável, podendo-se realiza-la usando qualquer outra forma de contagem.

O Modo de se fazer as orações é o seguinte: reza-se um "Pai Nosso" e dez "Ave Maria" por cada uma das Sete Alegrias. Nas orações finais mais duas "Ave Maria", para totalizar 72; e para terminar mais um "Pai Nosso" e uma "Ave Maria" pelas intenções do Papa. O número "72" tem um significado especial. Faz referência à tradição pela qual Nossa Senhora teria vivido 72 anos aqui na Terra.

Muito já se falou e se falará ainda de Maria Santíssima. Seu Amor incondicional a Deus e à sua Obra, fez dela um exemplo a ser seguido por homens e mulheres de todas as gerações. O saudoso Papa João Paulo II escolheu para Lema de seu Pontificado, "Totus Tuus Maria”. Tendo se consagrado à Ela, o Papa viveu mergulhado em Ação de Graças à sua Senhora.

A Virgem Maria é a amiga mais querida, mais íntima, mais amorosa que podemos pensar em ter. Se o próprio Deus a escolheu para ser mãe de seu filho, imagine os tesouros espirituais que podemos alcançar, ao meditarmos em Suas Alegrias.

Que tal começarmos agora?

* "E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo. Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem. Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos. Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes. Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos. Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia, conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre."
Lucas 1:46:55

Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, 2 de maio de 2006.
Elisabete S.C.Garcia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!