Busca no Site

Interativos

Receba nossas novidades



Receber em HTML?

Enquete

Pessoas divorciadas devem ter acesso à Eucaristia?
 

Compartilhe este site

Faça um pedido de oração





  
Informe o código de segurança para confirmar:
 

A inteligência espiritual: o ponto de Deus no cérebro humano PDF Imprimir E-mail

No início do século XX, o QI era a medida definitiva da inteligência humana. Na década de 90, a descoberta da inteligência emocional (QE) mostrou que não bastava o sujeito ser um gênio se não soubesse lidar com as emoções. No novo milênio as descobertas da ciência apontam para a Inteligência Espiritual (QS), responsável pelo significado da existência humana.
 
Essa tese vem demonstrada por Danah Zohar física e filósofa americana juntamente com o marido, o psiquiatra Ian Marshall, no livro "A Inteligência Espiritual", (QS = do inglês Spiritual Quocient), no qual demonstram o "Ponto de Deus" no cérebro, uma área que seria responsável pelas experiências espirituais das pessoas. Danah tem sido procurada por grandes companhias interessadas em desenvolver o quociente espiritual de seus funcionários e dar mais sentido ao seu trabalho. Por isso, está surgindo um novo tipo de empresa, que se preocupa sim, com o lucro, mas quer ganhar dinheiro para desenvolver as comunidades em que atua, proteger o meio ambiente, propagar educação e saúde.
 
O que seria a Inteligência Espiritual? Danah afirma "é a terceira inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto mais amplo de sentido e valor, tomando-os mais efetivos. Ter alto quociente espiritual (QS) implica ser capaz de usar o espiritual para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequando senso de finalidade e direção pessoal. O QS aumenta nossos horizontes e nos torna mais criativos. É uma inteligência que nos impulsiona. É com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor. O QS está ligado à necessidade humana de ter propósito na vida. É ele que usamos para desenvolver valores éticos e crenças que vão nortear nossas ações".
 
Danah demonstra que somente agora o mundo corporativo se preocupou com o QS, porque o mundo dos negócios atravessa uma crise de sustentabilidade e a causa dessa crise na vida corporativa provém do fato de que desde o surgimento do capitalismo só quer dinheiro e lucro. Mas dinheiro e lucro para quê e para quem? Trabalha-se para consumir. É uma vida sem sentido, afirma.
 
Danah mostra, além disso, que "o líder espiritualmente inteligente é uma pessoa responsável por trazer visão e valores. É uma pessoa que inspira as outras, do tipo de Dalai Lama, Nelson Mandela, Mahatma Gandhi e outros". Cita, ao mesmo tempo, várias companhias e empresários que buscam mais sentido em seu trabalho, como a British Petroleum, que adotou um novo slogan, "Além do Petróleo", pois está colocando o grosso de seus fundos de pesquisa no desenvolvimento de tecnologias energéticas alternativas, menos agressivas ao meio ambiente.
 
Na experiência de Danah, a inteligência espiritual pode ser desenvolvida, propondo para cultivá-la dez qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes. Praticam o autoconhecimento profundo; são levadas por valores; têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade; são holísticas; celebram a diversidade; têm independência; perguntam sempre o "por quê?" das coisas; têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo; têm espontaneidade e compaixão.
 
A tese da Inteligência Espiritual (QS) vem comprovar a tese de que homem é espiritual, queira ou não queira, pois existe em seu coração um mistério que é maior do que ele mesmo e, em seu cérebro, o "Ponto de Deus". Deste modo, o homem jamais deixará de espiritual, jamais deixará de ser religioso, isto é de "religar-se" a algo ou Alguém que o transcende.
 
Por isso, toda obra educativa marista, na sua proposta de uma educação integral, assume o compromisso de criar condições para que em todos os momentos e lugares e por todos os professores, seja cultivada, em três níveis da dimensão espiritual do aluno. No primeiro nível através da "educação para o transcender" ultrapassando o "o que ensinar" e o "como ensinar, a fim de chegar ao "para que" de cada matéria e atividade. O segundo nível seria através da "educação para a Transcendência" educando a religiosidade e para a religiosidade em vista do Deus de toda e qualquer religião. E, no terceiro nível, promovendo a "educação religiosa cristã" oferecida a todos pelo clima cristão existente no colégio e para os que quiserem, pela catequese, que visa aprofundar e viver os ensinamento de Jesus Cristo, o Deus Transcendente e Imanente, o Deus encarnado e presente entre nós.
 
Deste modo, toda a obra marista assegura aos seus alunos, além da excelência acadêmica em vista de profissionais competentes, o cultivo da dimensão espiritual para que sejam pessoas seguras e felizes. Pessoas competentes e felizes, eis a solução acertada para o sonho que tanto desejamos: a construção de uma sociedade cada vez mais justa, fraterna e solidária.

* Ir. Panini é Diretor Geral do Colégio Marista Arquidiocesano