DECLARAÇÃO DA PONTIFÍCIA ACADEMIA DE CIÊNCIAS SOBRE O NOVO HUMANISMO PDF Imprimir E-mail

Em seu boletim informativo de 16 de junho de 2003, o Vatican Information Service (órgão oficial de notícias do Escritório de Imprensa do Vaticano)difundiu a seguinte Declaração da Pontifícia Academia de Ciências, transcrita de seu original em inglês.

"Na Sessão Plenária de 8 a 11 de novembro de 2002, a Pontifícia Academia de Ciências discutiu as diversas contribuições feitas pelas atividades educacionais e científicas para a cultura da humanidade.Vendo "cultura" como um conjunto de caminhos aprendidos de forma livre e responsável para agir, comportar-se e tomar decisões, em oposição a padrões herdados de comportamentos e de instintos, a Pontifícia Academia de Ciências deseja emitira seguinte Declaração.

Se por ciência nós entendemos as sofisticadas artes da matemática, estética, arquitetura emetalurgia, é possivel descrever os antigos Egito, China e Mesopotamia como os berços originais da ciência. A conhecida base construídapor estudos de ciências naturais, iniciada com a prática teórica dos antigos gregos como uma forma pessoal da buscapela verdade, e depois desenvolvida por Galileu e seus seguidores, constitui uma dimensão fundamental da cultura humana.

Desde aquele tempo, esta dimensão modelou a história humana e é hoje parte irreversível do destino de cada um. É um valor em si próprio que provê tanto uma visão do mundo e das pessoasbaseada na ciência quanto amplas oportunidades de melhorar as condições de vida em áreas como saúde, expectativa de vida, segurança alimentar, recursos de energia e de água, informação e comunicação e preservação do ambiente.

No contexto destas aplicações, a visão global onde a ciência e os seus valores desempenham o seu papel na procura da verdade, junto com o juízo ético desenvolvido através dos séculos, pode ser de grande ajuda naavaliação de políticas e de tecnologias de modo a reduzir os riscos que acompanhammuitas dessas aplicações.

Portanto, a conscientização global da necessidade de se empenharem uma avaliação responsável do impacto humano pode conduzir à implementação de desenvolvimentos sustentáveis que garantam o bem para todas as pessoas. Muitas Academias de Ciências nacionais e regionais, bem como entidades científicas internacionais e organizações inter-acadêmicas, estão prontas para ajudarem líderes políticos e culturais, governos e empresas, em um cuidadoso e prudente juízo sobre as novas tecnologias.

Os rigorosos padrões geralmente aplicados na pesquisa científica relacionada com a coleta e a interpretação de dados e com projetos experimentais, e as regras éticas que governam a prática científica, agregam um valor cultural intrínseco ao trabalho científico. De modo similar, a base de conhecimento cientìfico constantemente enriquecida, compartilhando os valores e conteúdos da ciência, representa uma força de grande valor para a educação e pode melhorar as condições da vida humana.

Por estas razões, a ampla base de conhecimentos das ciências naturais constitui um fundamento inter-disciplinardinâmico e aberto, que é relevante para todos os seres humanos em todos os níveis da educação. De modo a sebeneficiarem integralmente desta base de conhecimentos, as sociedades devem desenvolver a educação científica, começando no ensino básico, e garantir que seus cientistas responsavelmente cuidem para que o progresso da ciência e da tecnologia seja destinado a beneficiar todos os homens e mulheres.

A pesquisa científica exitosa depende fortemente da originilidade, criatividadee invenção. Estes requisitos são similares aos de outras atividades culturais nos vários campos da arte e das ciências sociais e humanas. Todos esses campos realizam contribuições específicas para o patrimônio daculturahumana; eles são complementarese cada um deles não pode substituir qualquer outro.

Hoje, mais do que em qualquer época anterior, o que é solicitado é um novo humanismo que leve em consideração todos os aspectos da cultura humana, e onde as ciências humanas, sociais e naturais possam trabalhar juntas como parceiras. Isto contribuirá mais ainda paramelhorar o conhecimento integral do nosso mundo e o nosso lugar nesse mundo, para aumentar o respeito pelas gerações futuras, para promover o que é humano entre os povos, para proteger o ambiente e para assegurar o crescimento e o desenvolvimento sustentáveis. Neste caminho, a ciênciaajudará a unir corações e mentes, a encorajar o diálogo não apenas entre pesquisadoresindividuais e líderes políticos e culturais,mas, também, entre nações e culturas,prestando uma contribuição inestimável para a paz e para a harmonia entre os povos do mundo.

A ciência, tão apreciada no Magistério do Papa João Paulo II, quando está em harmonia com a fé pode participar integralmente deste novo humanismo. Os membros da Pontifícia Academia de Ciências fazem um apelo aos leitores desta Declaração para reconhecerem integralmente a valiosa contribuição das ciências naturais para a cultura da humanidade."

(Fonte: Vatican Information Services)